Patrocinadores

  • AtenuaSom
  • OWA Brasil
  • Harmonia
Vídeo Insitucional ProAcústica
Assista ao documentário do INAD SP 2017
Torne-se uma empresa associada!
Documentário Amorim Lima

Afiliações

  • ProAcústica - Afiliado ABNT
  • ProAcústica - Afiliado FIA - Federação Iberoamericana de Acústica
  • IIAV - International Institute of Acoustics and Vibration
  • I-INCE International Institute of Noise Control Engineering

CETAC incorpora novas câmaras de metrologia acústica

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Apesar de estar ligado às tecnologias do ambiente construído, o CETAC ensaia e fornece medições para outros setores como o automotivo e a indústria de eletrodomésticos. Mas as novas câmaras chegaram para atender às demandas do setor de construção civil e podem até fazer análises de fugas de ruído pelo sistema de holografia acústica por meio de uma antena com 36 microfones.

CETAC incorpora novas câmaras de metrologia acústica

O físico e pesquisador do laboratório de conforto ambiental do CETAC - Centro Tecnológico do Ambiente Construído, do IPT, Marcelo de Mello Aquilino, é conhecido entre os acústicos. Além de participar da comissão técnica da Conferência Municipal sobre Ruído, Vibração e Perturbação Sonora, Aquilino desenvolve uma tese de doutorado na Faculdade de Saúde Pública da USP para definir descritores acústicos em estudos epidemiológicos. Como pesquisador do CETAC, Aquilino tem motivos para comemorar a entrada em funcionamento de três novas câmaras de medição no laboratório do campus do IPT.

Apesar de estar ligado às tecnologias do ambiente construído, o laboratório ensaia e fornece metrologia para outros setores como o automotivo. Mas as três novas câmaras agora em atividade chegaram para atender às demandas do setor de construção civil. Uma dessas unidades de medição será usada para aferir o impacto de ruído em pisos e deve atrair a crescente indústria de pisos flutuantes que tem lançado produtos que podem minimizar um gigantesco conflito em condomínios de vizinhos que reclamam da bolinha, da pata do cachorro e do salto alto feminino no andar de cima. Aquilino explica que esta câmara ainda se encontra em fase de testes e, quando entrar em operação, vai medir a rigidez dinâmica, com martelo de impacto, de pisos que não utilizam mantas resilientes nos contrapisos.

“O principal efeito das medições, para as empresas que procuram resultados, é ajudar no desenvolvimento de produtos. Os casos mais conhecidos são os de instalações hidráulicas que produzem ruído no teto falso por onde circulam a água do vaso sanitário, do chuveiro e da pia”, salienta Aquilino. Por meio das medições executadas na câmara do laboratório do CETAC, soluções como novos métodos de fixação podem minimizar essa que representa outra expressiva reclamação de moradores de edifícios residenciais. Em outra das câmaras, o laboratório examina distúrbios sonoros emitidos por tubulações hidráulicas no interior das paredes. De posse dessas aferições, em breve, a indústria poderá desenvolver sistemas construtivos com maior poder de absorção sonora com materiais como lã de vidro e forros.

Desde 1978, o IPT realiza mapeamentos de ruídos na cidade de São Paulo. Em 2010, a pedido da prefeitura, uma série de medições foi executada, nos mesmos pontos da medição de 1978. Com valores acima da norma, a comparação de dados revelou que o nível de ruído não sofrerá alteração entre um período e outro o que poderia indicar que uma das soluções para o conforto acústico recairia sobre a qualidade dos fechamentos e envasaduras das edificações.

Para fazer medições deste porte, o laboratório do CETAC possui duas câmaras capazes de abrigar uma parede com porta e janela. Esse tipo de teste atende à norma ABNT NBR 15575. “Quando solicitado pelo setor privado ou pelo poder público, podemos fazer análises de intensimetria sonora, que determina o ponto por onde passa o vazamento sonoro”, explica Aquilino. E cita um exemplo: pela análise, dá para determinar que um som vaza no ponto em que a janela encosta no caixilho. O laboratório do CETAC pode fazer uma análise de fugas de ruído pelo sistema de holografia acústica: uma antena com 36 microfones fornece imagens coloridas da conformação acústica.

Além das câmaras voltadas para testes de isolação sonora no ambiente construído, o CETAC opera uma para medir o ruído de equipamentos eletrodomésticos. Nesse caso, a aferição serve para a concessão do Selo Ruído do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), que etiqueta aparelhos conforme os valores de potência especificados pelos fabricantes. Para a indústria automotiva, alguns materiais são especificados para minimizar o ruído do motor que precisa ser amortecido em painéis, bancos e na espuma do teto do carro. “Para essa situação, medimos a absorção sonora por meio de um tubo de impedância (tubo de 10 cm, com a amostra colocada a um metro e meio da fonte para observar a absorção). Antes, precisávamos de uma amostra de 12 m2; hoje, fazemos com um círculo de 10 cm de diâmetro”, revela Aquilino.

Na maior parte do tempo, os testes são realizados dentro do laboratório do CETAC, mas os pesquisadores do IPT precisam executar trabalhos externos como nos casos de orientação para projetos de barreiras acústicas industriais ou urbanas contra a poluição sonora. “Além de atender às fábricas, usinas e manufaturas, o trabalho de medições externas pode servir para oferecer subsídios ao poder público, quando precisa desenvolver políticas de gestão de controle de ruído”, lembra Aquilino. Antes, esse tipo de deslocamento exigia o emprego de um micro-ônibus com equipamentos de grande porte mas, agora com aparelhos miniaturizados, o CETAC vai à campo em carros comuns e os aparelhos são transportados numa maleta.

Veja também

25

Inad desperta São Paulo para o incômodo do barulho

Inad desperta São Paulo para o incômodo do barulho

O dia da conscientização sobre os graves problemas da poluição sonora, este ano, trouxe uma veia bem humorada. A famosa escultura de Victor Brecheret, o Monumento às Bandeiras, no Parque do Ibirapuera, amanheceu com fones auriculares de proteção para lembrar que a sociedade civil busca soluções de combate às diversas formas de perturbação acústica sem abrir mão da leveza. O secretário do Verde e Meio Ambiente de São Paulo, Gilberto Natalini, colocou a poluição sonora – que ele chamou de sexta modalidade da poluição, ao lado da poluição da água, ar, solo, visual e climática – na pauta da política pública do município. “Vamos treinar nossas equipes para trabalhar no combate a esse problema. E isso tem que estar na pauta do prefeito e das outras secretarias”.

O grande incômodo da poluição sonora

O grande incômodo da poluição sonora

A arquiteta e urbanista formada pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, Heloisa Proença, atual secretária Municipal de Urbanismo e Licenciamento - SMUL, acumula mais de três décadas envolvida com planejamento urbano e gestão pública. Além de consultora, discorre com frequência, como conferencista, sobre temas ligados à política urbana, estatuto da cidade, plano diretor, legislação urbanística, solo criado, operações urbanas, adensamento versus infraestrutura, parcerias públicas com o setor privado, zoneamento e mercado imobiliário, securitização do direito de construir e avaliação do potencial de construção. Nesta entrevista ao ProAcústica News, Heloisa Proença, se alinha com os cidadãos e as entidades que trabalham por uma cidade “menos estressante, mais amigável e com melhor qualidade de vida para os habitantes”.

Ilha ProAcústica faz sucesso na Feicon 2017

Ilha ProAcústica faz sucesso na Feicon 2017

Empresas de produtos, serviços e soluções acústicas, representadas pela ProAcústica, participaram da maior feira da construção civil do país, a Feicon Batimat 2017 com um estande institucional de integração e convivência. Pela primeira vez, a ProAcústica ocupou um espaço relevante, apresentando um túnel sensorial contrastando espaços com e sem tratamento acústico

Notícias

Multas por barulho do programa Psiu despencam no início da gestão Doria

O prefeito João Dória (PSDB) mandou um recado enfático no começo de fevereiro, ao participar de uma blitz da lei do barulho, que lacrou um bar no Tatuapé (zona leste de São Paulo): "Isto a partir de agora serve de alerta para os donos de estabelecimentos. A lei do Psiu agora volta, e volta para valer".


A paz em meio ao barulho na vizinhança

Isolamento acústico nas paredes, janelas e chão são algumas das soluções para conviver com o caos contínuo


Agenda