LinkedIn Facebook Instagram Twitter Youtube

Patrocinadores

  • AtenuaSom
  • OWA Brasil
Torne-se uma empresa associada!
Lançamento Manual ProAcústica para Qualidade Acústica de Auditórios
Documentário Amorim Lima
Vídeo Insitucional ProAcústica

Afiliações

  • ProAcústica - Afiliado ABNT
  • ProAcústica - Afiliado FIA - Federação Iberoamericana de Acústica
  • IIAV - International Institute of Acoustics and Vibration
  • I-INCE International Institute of Noise Control Engineering

Fernando Haddad sanciona Lei 16499/2016 que estabelece Mapa de Ruído em São Paulo

25/07/2016 - 11:29

Com o apoio da ProAcústica , ato compromete próximas gestões a estipularem cronogramas, metas e prazos em um plano de combate à Poluição Sonora.


Em um prazo de sete anos a Prefeitura de São Paulo terá que desenvolver e implantar o Mapa de Ruído Urbano da cidade. É o que estabelece a Lei 16.499, de 20 de julho (DOC de 21/7/2016), sancionada e publicada pelo prefeito Fernando Haddad, na última quinta-feira.

De autoria dos vereadores Andrea Matarazzo e Aurélio Nomura, e que contou com apoio da ProAcústica (Associação Brasileira para Qualidade Acústica), o projeto de lei sancionado compromete as próximas gestões da cidade a estipularem cronogramas, metas e prazos para realização de amplo estudo sobre o ambiente acústico da cidade.

Nos últimos três anos a ProAcústica, entidades da sociedade civil e os vereadores atuaram de forma intensa pela aprovação do projeto de lei do Mapa de Ruído. Para isso, formaram um Grupo de Trabalho que organizou diversas ações, inclusive ajudou a criar e organizar a Conferência Municipal sobre Ruído, Vibração e Perturbação Sonora, realizada todos os anos no Dia Internacional da Conscientização sobre o Ruído (INAD).

Em um prazo de sete anos a Prefeitura de São Paulo terá que desenvolver e implantar o Mapa de Ruído Urbano da cidade. É o que estabelece a Lei 16499/2016 sancionada e publicada pelo prefeito Fernando Haddad, na última sexta-feira (22 de julho).

De autoria dos vereadores Andrea Matarazzo e Aurélio Nomura, e que contou com apoio da ProAcústica (Associação Brasileira para Qualidade Acústica) e entidades do setor civil, o projeto de lei sancionado compromete as próximas gestões da cidade a estipularem cronogramas, metas e prazos para realização de amplo estudo sobre o ambiente acústico da cidade.

De acordo com o texto, o mapa será uma ferramenta de apoio às decisões para o planejamento e ordenamento urbano com vistas à gestão de ruído na cidade.

Entre os instrumentos previstos para serem utilizados pela Prefeitura e a sociedade no combate à poluição sonora estão: identificar a diversidade de fontes emissoras de ruído; fomentar o uso de novas tecnologias para mitigar as emissões de ruído; elaborar Plano de Ação para redução de ruídos; e orientar a adoção de ações e políticas públicas para a melhora da qualidade ambiental e urbanística da cidade.

A proposta é que o mapa sonoro identifique as áreas prioritárias para redução da poluição sonora e preserve as zonas com níveis de ruído apropriados.  O Mapa do Ruído Urbano deverá ser elaborado atendendo os seguintes prazos:

+ de até 4 (quatro) anos, a partir da publicação da lei, para a Macroárea de Urbanização Consolidada e para os Eixos de Estruturação da Transformação Urbana;

+ em um prazo compatível com a implantação dos projetos e programas de desenvolvimento para a Macroárea de Estruturação Metropolitana e as Operações Urbanas Consorciadas – OUCs;

+ e para as demais áreas da cidade, no prazo de 7 (sete) anos a partir da vigência da lei.

A poluição sonora aparece com destaque no ranking das queixas encaminhadas à Ouvidoria Geral da cidade de São Paulo e a cidade ainda não possui mecanismos de legislação e fiscalização eficazes para enfrentar esse problema.

Conheça a Lei 16.499/2016 Mapa do Ruído na íntegra

Dispõe sobre a elaboração do Mapa do Ruído Urbano da Cidade de São Paulo e dá outras providências.

FERNANDO HADDAD, Prefeito do Município de São Paulo, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei, faz saber que a Câmara Municipal, em sessão de 22 de junho de 2016, decretou e eu promulgo a seguinte lei:

Art. 1° – Fica o Poder Executivo Municipal obrigado a elaborar o Mapa do Ruído Urbano da Cidade de São Paulo, conforme diretrizes fixadas nesta Lei.

Art. 2º – O Mapa do Ruído Urbano é uma ferramenta de apoio às decisões para o planejamento e ordenamento urbano com vistas à gestão de ruído na cidade, com identificação de áreas prioritárias para redução de ruídos e preservação de zonas com níveis sonoros apropriados.
• 1º – O Mapa do Ruído Urbano deverá ser elaborado prioritariamente para a Macroárea de Urbanização Consolidada, os Eixos de Estruturação da Transformação Urbana, a Macroárea de Estruturação Metropolitana e para as Operações Urbanas Consorciadas – OUCs.
• 2º – O Mapa do Ruído Urbano deverá ser elaborado atendendo os seguintes prazos:

I – para a Macroárea de Urbanização Consolidada e para os Eixos de Estruturação da Transformação Urbana o prazo de até 4 (quatro) anos a partir da publicação desta lei;

II – para a Macroárea de Estruturação Metropolitana e as Operações Urbanas Consorciadas – OUCs, em prazo compatível com a implantação dos projetos e programas de desenvolvimento;

III – para as demais áreas da cidade, no prazo de 7 (sete) anos a partir da vigência desta lei.

Art. 3º – A elaboração do Mapa do Ruído Urbano deverá considerar a diversidade de fontes emissoras de ruído responsáveis pela poluição sonora da cidade, nos períodos diurno e noturno, visando à sua quantificação, considerando-se como essenciais as fontes oriundas de veículos automotores, dentre outras.

Art. 4º – O Mapa do Ruído Urbano servirá de instrumento para o Poder Público Municipal:

I – conscientizar a população sobre os efeitos do ruído na saúde humana;

II – identificar a diversidade de fontes emissoras de ruído;

III – fomentar o uso de novas tecnologias para mitigar as emissões de ruído acima dos níveis estabelecidos pela legislação e normas vigentes;

IV – difundir campanhas educativas sobre as fontes de emissões de ruído e suas responsabilidades;

V – elaborar o Plano de Ação para Redução de Ruídos;

VI – realizar consultas públicas junto à população;

VII – Vetado

VIII – orientar a adoção de ações e políticas públicas para a melhora da qualidade ambiental e urbanística da cidade.

Art. 5° – As despesas decorrentes da execução da presente Lei correrão por conta das dotações orçamentárias próprias, suplementadas se necessário.

Art. 6° – O Poder Executivo regulamentará a presente Lei, no que couber, no prazo máximo de 90 (noventa) dias, contados da data de sua publicação.

Art. 7° – Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação.

Veja também

Ruído do trânsito é o maior vilão do barulho em SP

Ruído do trânsito é o maior vilão do barulho em SP

A cidade de São Paulo é a quarta no ranking mundial do barulho. O maior vilão desta estatística é o ruído causado pelo trânsito paulistano

ProAcústica na High Design mostra que conforto acústico e design são itens que se complementam

ProAcústica na High Design mostra que conforto acústico e design são itens que se complementam

Oportunidade, excelência e qualidade definem a participação, pelo segundo ano consecutivo, da ProAcústica na High Design, Home & Office Expo 2019, com a Ilha ProAcústica. A ilha contemplou a exposição das últimas novidades em design, tecnologia e inovação para os mercados residencial e corporativo. E no ARQ+ Smart Construction, um espaço de conteúdo e debates, o tema Conforto dominou os talks com a participação de vários especialistas acústicos.

A ProAcústica abre as inscrições para a 4ª edição do Programa Interlaboratorial de Ensaios de Campo

A ProAcústica abre as inscrições para a 4ª edição do Programa Interlaboratorial de Ensaios de Campo

A demanda por ensaios normalizados de campo na área de acústica das edificações vem crescendo desde a entrada em vigor da norma ABNT NBR 15575 Edificações habitacionais - Desempenho, principalmente porque as medições de campo são a única forma de verificar o atendimento de seus requisitos. Com o objetivo de promover o aprimoramento técnico e a garantia de resultados seguros das medições das empresas do setor, a ProAcústica lança a 4ª edição do Programa InterLab e a 1ª Edição do Programa QualiLab.

Notícias

Selo ruído: regulamentação alerta consumidor para perigos da poluição sonora

Inmetro aponta para o consumidor para problemas de saúde mental e física. Veja lista com os eletrodomésticos mais barulhentos


Barulho de conversas no escritório gera sobrecarga mental, alerta especialista francês

Estudo mostra que trabalhar em ambiente com alto índice de conversas paralelas pode causar fadiga, estresse e afretar sistemas nervoso, cardiovascular e digestivo.


Agenda